good-review
Veja o que
temos a oferecer
Conhecer mais
destination
Vivencie a nossa
qualidade de vida
Conhecer mais
Serviços
map4
Visite o nosso
património classificado
Conhecer mais
bench
Aventure-se nos
percursos pedestres
Conhecer mais
compass
Explore a nossa
diversidade cultural
Conhecer mais
museum
Participe dos
nossos eventos
Ver Agenda
Bem-vindo
a Oliveira do Hospital
Conheça o município
Belezas Naturais em
Oliveira do Hospital

Uma jóia escondida no coração de Portugal!
O nosso município oferece uma rica variedade de experiências para os viajantes que procuram aventuras autênticas no meio à natureza.

aventura roteiros cultura local natureza

Convento do Desagravo

compass
Designações

Antigo Convento do Desagravo do Santíssimo Sacramento

museum
Categoria

Arquitetura Religiosa / Convento

map4
Localização

DIVISÃO ADMINISTRATIVA
Coimbra / Oliveira do Hospital / Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira

LOCAL
Vila Pouca da Beira

information
Proteção

Situação atual
Classificado

Categoria de Proteção
Classificado como Imóvel de Interesse Público (IIP), de acordo com o Decreto n.º 42 692, DG, I Série, n.º 276, de 30.11.1959

mark
Cronologia

Portaria n.º 118/2013, DR, 2.ª série, n.º 48, de 8-03-2013 
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 
Anúncio n.º 13597/2012, DR, 2.ª série, n.º 202, de 18-10-2012 
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 
Parecer favorável de 31-10-2007 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Nova proposta de 15-06-2007 da DR de Coimbra 
Devolvido em 21-03-2006 à DR de Coimbra para juntar proposta de ZEP 
Proposta de 12-02-2004 da DR de Coimbra para a classificação como IIP 
Despacho de abertura de 29-01-2003 do vice-presidente do IPPAR 
Proposta de abertura de 23-01-2003 da DR de Coimbra 
Proposta de classificação de 23-10-2002 da Fundação Bissaya-Barreto, então proprietára

round
ZEP

Portaria n.º 118/2013, DR, 2.ª série, n.º 48, de 8-03-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13597/2012, DR, 2.ª série, n.º 202, de 18-10-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 31-10-2007 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 15-06-2007 da DR de Coimbra 

NOTA HISTÓRICO-ARTÍSTICA

O convento do Desagravo do Santíssimo Sacramento de Vila Pouca da Beira foi fundado já na segunda metade do século XVIII, pela Câmara, nobreza e povo desta vila, conforme a Provisão Régia e Episcopal que autorizaram a sua instituição.

Esta última foi assinada pelo bispo-conde D. Francisco de Lemos de Faria Pereira Coutinho, a 19 de Agosto de 1780, chegando as religiosas do Louriçal onze anos mais tarde, quando o edifício já se encontrava apto a ser habitado, embora não totalmente concluído. Apesar de não haver notícias sobre a finalização dos trabalhos, crê-se que estes tenham sido terminados cerca de 1800: um dos sinos exibe a data de 1801 e o outro de 1817 (CORREIA; GONÇALVES, 1952). O local escolhido para erguer esta nova casa conventual, cuja invocação foi muito difundida na centúria de Setecentos, tinha já uma tradição religiosa pois aí se levantava uma pequena capela dedicada a São José. 
A igreja, de planta longitudinal, dispunha de portal principal na fachada lateral como convinha a um convento feminino.

Neste mesmo alçado, todos os panos são marcados por pilastras encimadas por pináculos e abertos por janelas de verga abatida, mas destaca-se o que contém o portal. Este, de linhas retas e ladeado por pilastras, é encimado por uma ampla janela que, por sua vez, é flanqueada por dois nichos. Assinala a entrada principal do templo uma ampla cruz, já sobre a linha do telhado. A Norte desenvolve-se o claustro, formado por tramos de quatro arcos, e em função deste as restantes dependências conventuais.

Neste mesmo alçado, todos os panos são marcados por pilastras encimadas por pináculos e abertos por janelas de verga abatida, mas destaca-se o que contém o portal. Este, de linhas retas e ladeado por pilastras, é encimado por uma ampla janela que, por sua vez, é flanqueada por dois nichos. Assinala a entrada principal do templo uma ampla cruz, já sobre a linha do telhado. A Norte desenvolve-se o claustro, formado por tramos de quatro arcos, e em função deste as restantes dependências conventuais.

Bem vindo