sexta, 31 março 2017 10:57

Freguesia de Lourosa assinalou 1.º aniversário da Unidade Móvel de Saúde

Na passada sexta-feira, 27 de janeiro, assinalou-se o primeiro ano de atividades da Unidade Móvel de Saúde na freguesia de Lourosa, um projeto do Município de Oliveira do Hospital em parceria com a Fundação Aurélio Amaro Diniz (FAAD).

 

Como gesto de agradecimento, a Junta de Freguesia de Lourosa assinalou a data promovendo um momento de encontro entre a população, os enfermeiros que integram a Unidade Móvel de Saúde e os responsáveis das entidades promotoras deste projeto que leva os cuidados de saúde primários junto da população.

 

 

 

Américo Figueiredo, anfitrião deste encontro destaca a importância que este serviço tem para a população da freguesia a que preside e onde, neste primeiro ano, foram contabilizados 2030 atendimentos. "Tem sido um sucesso, é uma mais valia para a freguesia e as pessoas estão muito satisfeitas", referiu o presidente da Junta de Freguesia de Lourosa.

 

Como assinalou o presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, neste primeiro aniversário da Unidade Móvel de Saúde em Lourosa, "esta é uma parceria importante entre a Fundação Aurélio Amaro Diniz e o Município de Oliveira do Hospital porque aproximamos os cuidados de saúde primários às populações. Tem havido uma boa adesão da população abrangida assim como dos enfermeiros que fazem este trabalho e que criaram uma relação de empatia com os utentes".

 

"Este primeiro ano foi uma experiência positiva e que nos congratula por vermos nos olhos das pessoas que são utentes, a felicidade por saber que não estão abandonadas à sua sorte", acrescentou o presidente José Carlos Alexandrino que dirigiu também os "parabéns à Junta de Freguesia de Lourosa por ter realizado esta parceria".

 

Álvaro Herdade, presidente do Conselho de Administração da FAAD, que se fez acompanhar por Rogério Prazeres que integra também a estrutura diretiva, destaca que este tem sido um serviço e uma resposta "eficaz" que aproxima as pessoas dos cuidados de saúde primários.

 

"A população servida é a que se encontra mais distante da sede de concelho e são freguesias que já tiveram postos médicos que encerraram e de onde foi retirado o médico mas onde ficou a população que mais precisa de médicos porque é uma população idosa". Uma situação, que como aponta aumentou os problemas de saúde, como a "diabetes descontrolada" e que "surgiam por falta de vigilância".

 

"Percebemos que tínhamos de fazer alguma coisa", aponta o médico sublinhando que a Unidade Móvel de Saúde tem um serviço de enfermagem que presta cuidados e que está em constante ligação com os médicos. "O ideal era ter um médico a acompanhar a Unidade Móvel de Saúde mas está à distância de um contacto telefónico sempre que necessário", refere Álvaro Herdade que aponta para o número de atendimentos – perto de 5700 – realizados ao longo do ano de 2016, nas três freguesias, para dar conta que "é a prova da necessidade das pessoas destes serviços".

 

Depois de S. Gião e de Aldeia das Dez, Lourosa foi a terceira freguesia do concelho de Oliveira do Hospital a ser abrangida pelos cuidados de saúde prestados pela Unidade Móvel de Saúde. Este serviço disponibiliza à população, cuidados de saúde no domínio da enfermagem, a monitorização de sinais vitais e glicémia capilar, tratamento de feridas, monitorização e vigilância de terapêutica crónica dos utentes, renovação de receituário crónico, entre outros.

 

A Unidade Móvel de Saúde – viatura com consultório e equipamento de diagnóstico e terapêutico – é fruto de uma parceria entre a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e a Fundação Aurélio Amaro Diniz, tem como objetivo primordial aproximar os cuidados de saúde primários da população, nomeadamente a mais idosa e isolada, e foi um projeto cofinanciado pelo Programa SP3 PRODER/ADIBER.

 

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me