terça, 04 outubro 2011 14:27

EXPOSIÇÃO: O MUNDO ROMANO – CIVITAS SPLENDISSIMA

O Museu Municipal Dr. Simões Saraiva, em Bobadela, tem, desde 3 de setembro, um espólio mais alargado e diversificado, com a exposição temporária de aguarelas «O Mundo Romano - Civitas Splendidissima», de Maria C. Ventura. Composta por 13 aguarelas sobre monumentos romanos nacionais, o destaque da exposição recai sob três telas, onde assumem protagonismo o Forum e Anfiteatro romanos do núcleo histórico da Bobadela, pintados em fevereiro de 2011, durante a primeira visita de Maria C. Ventura ao concelho de Oliveira do Hospital.



A artista, que revela gosto particular pelo retrato de elementos patrimoniais e paisagens, nasceu em Lisboa, em 1935, e embora tenha descoberto a paixão pela aguarela muito cedo, só mais tarde enveredou por cursos de aperfeiçoamento de desenho, com o Mestre Martins Correia, e de pintura, com M.me Claudine Thireau. Tendo fixado residência em Itália, apresentou no ano de 1991, em Roma, a sua primeira exposição.
Ao longo do tempo, o trabalho de Maria da Conceição de Sousa Roque Ventura mereceu vários prémios e outros reconhecimentos por parte da crítica e do público. Regressou a Portugal em 1999, tendo escolhido a região de Santarém para habitar e instalar o seu atelier onde, aos 76 anos de idade, continua a dedicar-se à arte que a apaixona.
Em jeito de serviço ao público, “mostrar aquilo que, apesar de muitas vezes já conhecermos, não vemos com toda a precisão” é uma das principais razões que levam Maria C. Ventura a continuar a dar vida às suas aguarelas, onde já esmiuçou as mais conhecidas paisagens portuguesas e italianas, sempre com detalhes muito próprios, como a “idealização de lugares, onde não há fios de eletricidade, carros a galgar os passeios, ou caixotes de lixo a alterar um local onde o desejável é que o património ocupe um lugar de destaque”.
A artista que, segundo o crítico de arte Vasco Bettencourt Sampaio, “aborda a difícil arte da aguarela com feminina delicadeza, suavidade ou mesmo pudor, sentimentalismo e romântico lirismo” fala ainda da emoção que coloca em cada pintura e da afetividade que a prende às mesmas, sendo, por vezes, muito difícil desfazer-se das suas criações, que considera como “autênticos filhos”.
Presente na cerimónia de inauguração da exposição de aguarelas, a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, Graça Silva, mostrou-se satisfeita com mais uma iniciativa do município em prol da Cultura e reconheceu o valor das obras expostas para a promoção do património concelhio. “A qualidade é, sem dúvida, proporcional ao preço de cada quadro”, referiu a vereadora da Cultura, admirando o “perfecionismo” e o “olho clínico” da artista plástica.
Projetando nas obras de Maria C. Ventura uma forma de valorização e divulgação do património da região, Graça Silva deixou ainda um convite à pintora para uma visita aos “recantos e encantos” do concelho, como o vale do Alva, que “proporcionariam belíssimos quadros, dignos da assinatura de Maria C. Ventura”.
A exposição de aguarelas “O Mundo Romano – Civitas Splendidissima” encontra-se patente no Museu Municipal Dr. António Simões Saraiva até ao dia 30 de setembro, com horário, de quarta a sexta-feira, das 14h00 às 17h00 e, aos fins-de-semana, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00.

        

ptnlenfres

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me