terça, 09 julho 2019 11:57

ETAR de Oliveira do Hospital apetrechada com o que de melhor existe a nível europeu

 

As obras de remodelação e ampliação da ETAR de Oliveira do Hospital foram inauguradas, dia 2 de julho, pelo Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde.

A cerimónia contou com a presença – entre outras entidades – do Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino e do Presidente do Conselho de Administração da Águas do Vale do Tejo, José Manuel Sardinha, assim como da Presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, Dulce Álvaro Pássaro.

A conclusão da “Empreitada de Conceção/Construção para a remodelação/ampliação do nível de tratamento da ETAR de Oliveira do Hospital” representou um investimento de cerca de 659 mil euros, cofinanciados em 85% pelo POSEUR.

A antiga ETAR de Oliveira do Hospital, que se encontrava a funcionar desde 2008, foi dimensionada para servir uma população equivalente a 11.753 habitantes e um caudal médio de 1.549 m3/dia, encontrando-se subdimensionada face às atuais condições de afluência.

Após esta intervenção, a ETAR passou a estar dimensionada, quer em termos hidráulicos, quer em termos processuais, para tratar um equivalente populacional de 17.750 habitantes, e um caudal médio diário, em tempo húmido, de 2.625 m3/dia.

A infraestrutura, além de servir a sede do concelho, trata também as águas residuais de Aldeia de Nogueira, Nogueira do Cravo, S. Paio de Gramaços e Catraia de S. Paio.

O local de descarga do efluente tratado é no rio de Cavalos, curso de água pertencente à bacia hidrográfica do rio Mondego, considerada meio sensível, pelo que, a ETAR de Oliveira do Hospital assegura um tratamento de nível terciário das águas residuais, integrando etapas para remoção de nutrientes (azoto e fósforo), bem como filtração e desinfeção por ultravioletas para reaproveitamento de parte do efluente tratado como água de serviço.

Para além de muito contribuirem para a qualidade de vida da população que serve, bem como, para a proteção do meio ambiente, as obras realizadas nesta ETAR foram projetadas para atingir níveis de qualidade compatíveis com a atual legislação em vigor.

O Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, destacou o facto de vivermos hoje num concelho servido por 35 ETAR´s, sendo que 20 são exploradas pelas Águas do Vale do Tejo e 15 diretamente pelo Município de Oliveira do Hospital.

Frisando que a taxa de cobertura de saneamento básico do concelho se cifra nos 88 por cento, e que apenas 0,8 por cento da população continua a ser servida por fossas séticas, o autarca referiu que “longe vão portanto os tempos em que os esgotos corriam a céu aberto pelas nossas aldeias, com graves prejuízos para o meio ambiente”.

Penso que hoje, fruto dos grandes investimentos que têm vindo a ser feitos nos últimos anos, somos um concelho do interior do país que dá cartas também em matéria de ambiente, afirmou José Carlos Alexandrino.

O Presidente do Conselho de Administração da Águas do Vale do Tejo, José Manuel Sardinha, deu conta de que esta ETAR está apetrechada com o que de melhor existe a nível europeu.

É uma ETAR do século XXI, concluiu. Na ótica do Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde, estas obras de remodelação e ampliação desta infraestrutura, para além de muito contribuírem para a qualidade de vida da população que serve, bem como para a preservação do meio ambiente, também foram projetadas para atingir níveis de qualidade compatíveis com a a atual legislação em vigor.

 

 

Cookies

        

ptnlenfres

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me