terça, 10 abril 2012 13:44

Biblioteca Municipal dinamiza “Do Velho se faz Novo” e Workshop de Artesanato Açoriano

No âmbito da comemoração do Dia da Árvore e da necessidade da sua proteção, a ludoteca da Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital tem a decorrer, até ao dia 5 de abril, a atividade “Do velho se faz novo”. O objetivo é desenvolver e promover uma consciencialização ambiental entre os destinatários.

Nesta atividade, as crianças fazem recolha de materiais recicláveis e, a partir deles, produzem brinquedos. Com criatividade, os materiais recicláveis deixam de ser lixo para dar origem a brinquedos, jogos e outras utilidades que misturam fantasia e realidade, diversão e consciencialização. Esta é uma ação educativa para colaborar com o meio ambiente, amenizando o problema da poluição.

Na opinião da responsável pela ludoteca, Ana Isabel Martins, “na vida das crianças, os brinquedos são excelentes formas de entretenimento pedagógico e, acima de tudo, divertimento. Por isso, são fundamentais nas suas atividades.” Porém, não são somente os brinquedos tradicionais e tecnológicos que são importantes. “As crianças aprenderão a construir um avião com uma garrafa, um boneco com um copo de iogurte ou um instrumento de música com uma garrafa de iogurte. Estes são alguns dos brinquedos que podem ser feitos com o «lixo»”, acrescenta a educadora, que considera que “a atividade de reciclar é a melhor maneira de mostrar às crianças a importância desta prática. Ao mesmo tempo que ajudam o meio ambiente, fabricam o seu próprio brinquedo”.

Outra atividade recentemente dinamizada pela Biblioteca Municipal consistiu num workshop de artesanato açoriano, ministrado por Eduardo Câmara, que teve como público alvo o curso de Artes da Escola Secundária de Oliveira do Hospital e a turma de Manualidades da Universidade Sénior.

Com uma história e tradição bastante antigas, os presépios de lapinha fizeram parte do referido workshop, direcionado para a Escola Secundária de Oliveira do Hospital, e foram elaborados a partir de materiais que se encontram nas ilhas açorianas, nomeadamente as lapinhas, búzios, rochas vulcânicas e outros materiais.

Já a atividade dirigida à Universidade Sénior de Oliveira do Hospital consistiu na construção de pulseiras, brincos e colares feitos a partir de uma semente que, à semelhança das lapinhas, se encontra exclusivamente nos Açores. Nas ilhas, tais objetos têm uma componente religiosa “muito importante, devido à forte probabilidade de catástrofes naturais”, explicou o dinamizador, “já que as pulseiras e colares são também terços, a partir dos quais as pessoas podem fazer as suas orações”.

O workshop de artesanato açoriano teve continuidade durante a 21.ª Festa do Queijo Serra da Estrela, onde o público teve oportunidade de assistir ao fabrico de presépios de lapinha, brincos, colares e pulseiras, formas de património com uma tradição muito antiga nas ilhas açorianas.


        

ptnlenfres

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me