quarta, 21 março 2012 14:41

Confraria do Queijo Serra da Estrela realizou 23º Capítulo no contexto da XXI Feira do Queijo

Inserido no programa da XXI Feira do Queijo Serra da Estrela e outros Produtos Locais de Qualidade, teve lugar, a 17 de março, na Casa da Cultura César de Oliveira, o 23º capítulo da Confraria do Queijo Serra da Estrela. Perante uma plateia que lotou o auditório da Casa da Cultura César oliveira, a mesa foi composta pelo grão-mestre Manuel Freire, pelo Secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, pelo presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, pela presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, Madalena Carrito, por um representante da Confraria do Queijo das Astúrias e por alguns membros da Confraria do Queijo Serra da Estrela.

“O Queijo Serra da Estrela, uma das sete maravilhas da gastronomia portuguesa, é sem dúvida o ator principal da grande festa que decorre nestes dias em Oliveira do Hospital, a qual tem uma dimensão cada vez maior e atrai ao concelho milhares de pessoas de todo o país”, começou por referir o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, sem, no entanto, deixar de sublinhar que aquele produto de excelência – “um dos melhores queijos do mundo” – está fortemente ameaçado e com sérios riscos de entrar em vias de extinção. Um problema que toca várias dimensões, já que o Queijo Serra da Estrela “não representa apenas a conservação dos nossos recursos genéticos, mas também da nossa cultura e gastronomia, do meio ambiente e do interior do país rural, combatendo a desertificação”. A par desta questão surge ainda a da “desvalorização económica do queijo, uma vez que, na última década, o preço por quilo baixou, contrariamente ao que seria natural num ciclo económico racional”.

Mas o presidente da Câmara Municipal não quis fazer uma intervenção marcada pela negativa e voltou-se também para os aspetos positivos que se fazem notar “neste território interior do país, onde também há inovação”. Com visível orgulho, anunciou que no concelho está a ser desenvolvido um projeto inovador, com incorporação de tecnologia, concebido para valorizar o Queijo Serra da Estrela, retirando-o da curva descendente em que se encontra, e propiciando a atração de jovens para uma atividade nobre da região. “Este projeto de desenvolvimento, que vai ser candidatado ao QREN nos próximos dias, poderá constituir um passo decisivo para a internacionalização do afamado e genuíno Queijo Serra da Estrela, e é o resultado de um intenso trabalho de inovação e investigação da BLC3 – Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro”, referiu o autarca, concluindo que “é deste tipo de projetos, com uma nova visão, que o interior do país precisa para sair da crise a que a inércia e a passividade nos conduziram”.

Depois da brilhante prestação do Queijo Serra da Estrela no concurso das 7 Maravilhas da Gastronomia, a região centro é, para a presidente da Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, a mais rica em termos de gastronomia, pela sua diversidade, riqueza e pela pujança que as confrarias têm demonstrado ao longo dos anos enquanto defensoras dos produtores, agricultores, comerciantes e de todos aqueles que, no seu dia a dia, contribuem para levar à mesa dos portugueses aquele que é o património imaterial do nosso país.

Reconhecendo o momento difícil por que passam as confrarias portuguesas, a presidente da Federação realçou ainda a importância daquelas associações para a valorização do território e para o desenvolvimento das economias locais.

Quanto à intervenção do secretário de Estado da Agricultura, realçou a necessidade de “produzir e exportar mais, já que a agricultura é um setor estratégico que em muito pode ajudar o país”, referiu José Diogo Albuquerque.

Um dos momentos altos do Capítulo, a entronização de novos confrades, destacou a ADIBER e os municípios que apoiaram a candidatura do Queijo Serra da Estrela ao concurso das “7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa”, que foram entronizados como Confrades de Mérito – estiveram presentes as câmaras municipais de Aguiar da Beira, Guarda, Fornos de Algodres, Gouveia, Seia e Tábua. Igual distinção foi atribuída ao chefe de cozinha Hélio Loureiro, conhecido pela confeção de vários pratos com recurso à afamada iguaria. O padrinho da candidatura do Queijo Serra da Estrela ao concurso das “7 Maravilhas da Gastronomia”, o campeão olímpico Carlos Lopes, não pôde comparecer na cerimónia, onde também foram entronizados nove novos confrades efetivos.


        

ptnlenfres

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me