quarta, 21 dezembro 2011 11:05

Município celebrou protocolos com coletividades concelhias

O edifício dos Paços do Município de Oliveira do Hospital recebeu, a 17 de setembro, a cerimónia de assinatura pública dos protocolos relativos aos subsídios atribuídos às coletividades concelhias para apoio ao desenvolvimento do seu plano de atividades.

Ao todo, foram 88 as associações a celebrar protocolos com o Município, entre clubes desportivos, coletividades culturais e grupos de cariz social ou recreativo.

Na totalidade, os protocolos assinados correspondem a uma transferência de 485.000 euros de apoio ao movimento associativo, dos quais a maior fatia se destina ao desporto. Para os 15 clubes com equipas a disputar provas organizadas pelo INATEL ou a competir em campeonatos seniores ou de formação, a autarquia transferiu, na corrente época, 366.000 euros. Já às 26 associações que mantêm grupos a desenvolver atividade cultural foram entregues 89.000 euros. Para as restantes coletividades do concelho, num total de 47, estão estimados 30.400 euros.

A presidir ao discurso da cerimónia de assinatura de protocolos, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, deu conta da “riqueza do concelho em termos de associativismo nas diferentes áreas”, patente num Salão Nobre completamente lotado, acrescentando que um concelho sem associativismo seria equivalente a “um concelho sem vida e sem animação”. O autarca enalteceu ainda o “trabalho de homens e mulheres dedicados, que servem os interesses da sua comunidade, demonstram o seu apego à terra e à comunidade e fazem sorrir e motivar as populações”, acrescentando que “o reconhecimento às coletividades é mais do que merecido”. E ainda que tenha referido a inevitabilidade de cortes nos subsídios atribuídos às coletividades em 2012, em consequência da diminuição de receitas que irá ser vivida pelo Município, garantiu a total disponibilidade para o apoio ao associativismo por parte do executivo a que preside.

Reconhecendo a existência de uma grande dinâmica cultural, José Carlos Alexandrino deixou ainda claro que “não será por falta de dinheiro que alguma associação se extinguirá no concelho”, antes de se voltar para os vereadores com o pelouro da Cultura, Graça Silva, e com o pelouro da Ação Social e Solidariedade, José Francisco Rolo, a quem agradeceu publicamente o acompanhamento mais próximo e atento dirigido aos membros das associações e coletividades concelhias.

 

        

ptnlenfres

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me