segunda, 19 junho 2017 15:48

ETAR de Oliveira do Hospital | Aviso à População

A Estação de Tratamento de Águas Residuais de Oliveira do Hospital (ETAR), da responsabilidade da empresa Águas do Vale do Tejo, tem estado a gerar problemas ambientais de vária ordem, que se sentem sobretudo ao nível da emissão de maus cheiros que, periodicamente, se fazem sentir na cidade e nos núcleos habitacionais mais próximos daquela ETAR.

Esta situação, que a Câmara Municipal lamenta profundamente, resulta do facto de aquela infraestrutura, que foi construída em 2008, de forma subdimensionada, pela empresa Águas do Zêzere e Côa, se encontrar sem capacidade para fazer eficazmente o tratamento satisfatório das águas residuais.

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital lamenta os incómodos que estão a ser causados aos munícipes e, conjuntamente com a empresa responsável pela ETAR, tem estado a monitorizar regularmente o funcionamento daquela infraestrutura, com vista a minimizar os problemas.

Também fruto da intervenção da Câmara Municipal junto da empresa Águas do Vale do Tejo, informa-se que, conforme recentemente foi publicamente anunciado, a ETAR da cidade de Oliveira do Hospital vai entrar em obras de beneficiação durante o próximo mês de julho, num investimento de cerca de 800 mil euros, que visa melhorar o modo de funcionamento daquele equipamento, através do aumento da capacidade de tratamento satisfatório de águas residuais.

Após a conclusão das obras, que permitirão que Oliveira do Hospital tenha finalmente uma ETAR à sua dimensão, estes problemas deixarão de existir e tudo entrará dentro da normalidade. Porém, durante este período, a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital apela à compreensão dos munícipes, garantindo no entanto que tudo fará, junto da empresa Águas do Vale do Tejo, responsável pela infraestrutura, para minimizar ao máximo os problemas ambientais causados pela falta de capacidade desta ETAR.

A Câmara Municipal volta também a informar que está já em curso o processo para a construção de dez novas estações de tratamento de águas residuais em dez freguesias do concelho, situação que conjuntamente com a conclusão de diversas ligações técnicas às infraestruturas, permitirão que Oliveira do Hospital passe a ser um dos primeiros municípios do país sem fossas séticas coletivas e com uma taxa de cobertura de saneamento básico na ordem dos 100 por cento.

CONTACTOS

 

Username *
Password *
Remember Me